terça-feira, 2 de abril de 2013

LISBOA no tempo da Segunda Guerra



LISBOA foi, durante a Segunda Guerra Mundial, o centro da espionagem e da intriga internacionais, e a única cidade europeia onde Aliados e potências do Eixo operavam à luz do dia e se vigiavam mutuamente. Era a Casablanca real, com todos os ingredientes de uma glamorosa intriga ficcional – manobras de bastidores, traições, um próspero mercado negro, romances tumultuados, espiões de ambos os lados da guerra, refugiados, banqueiros, diplomatas, elementos da realeza europeia exilada e da alta sociedade, escritores e artistas que se cruzavam nos hotéis e cafés do centro da cidade ou da idílica costa do Estoril. Os duques de Windsor, Marc Chagall, Calouste Gulbenkian, Ian Fleming ou o actor Leslie Howard, foram apenas algumas das muitas celebridades que passaram por Lisboa nesta altura. Sobre este cenário de filme noir dominam dois protagonistas – Salazar e a destreza política com que joga, no finíssimo fio da navalha, a neutralidade e a soberania portuguesas. Numa obra brilhante e extremamente bem documentada, Neill Lochery oferece-nos a oportunidade única de visitar Lisboa na época em que foi chamada de Cidade da Luz.

Como se lhe refere o Wall Street Journal Europe este livro é “Uma crónica evocativa deste discreto recanto nos anos da Segunda Guerra Mundial. Deixando transparecer a amplitude do seu trabalho de investigação, Neill Lochery criou um relato extraordinariamente apelativo do papel que este pequeno país desempenhou no teatro dos acontecimentos.”

Sinta-se na Lisboa de 1939-1945 e acompanhe “a guerra nas sombras da cidade da Luz”, tente perceber os jogos diplomáticos e as dificuldades com a passagem de milhares de refugiados para outros países. Será que houve realmente neutralidade de Portugal nesta guerra? Fique a saber como se processava a exploração e exportação de volfrâmio para a Alemanha de Hitler e o pagamento que nos era feito em barras de ouro, muito dele saqueado nos países ocupados ou tirado aos que morreram nos campos de concentração.

Este interessante livro da Editorial Presença, 2ª edição de Junho de 2012, estará brevemente à sua disposição na Biblioteca da União, no Colmeal.

A. Domingos Santos

1 comentário:

Anónimo disse...

Ora aqui está uma boa promoção da leitura.
Apelativa, cativante, uma pontinha de suspense... Parabéns!
Deonilde Almeida.