terça-feira, 19 de fevereiro de 2008

Parque infantil



No concelho de Góis existem dois parques infantis plantados ou perdidos nas serras.
Este fica na freguesia do Colmeal. Ao Ventoso.
Onde a estrada esteve parada quando ainda era pequeno e brincava.
Onde foram descarregados os paralelepípedos que depois, em carros de bois, chegaram ao Colmeal para o calcetamento das ruas e do largo. Mas depois a estrada continuou e foi até à sede de freguesia. E depois seguiu para outras localidades.
Do parque temos uma linda vista para o Colmeal, para o Soito e para outras aldeias que se encaixam nas encostas distantes.
Mas porquê aqui? Recordo-me de ter lido algures que teve a ver com os incêndios, verbas comunitárias, etc. Será mesmo?

Foto de António Santos

4 comentários:

Anónimo disse...

Independentemente do local, apesar de muito bonito, poder não ser a melhor escolha para a instalação deste tipo de equipamentos, que para além de um parque infantil, é também um parque de merendas, uma vez que inclui uma boa churrasqueira, a verdade é que tendo ali sido construído, não se percebe porque é que não foi para ali canalizada água, que existe a cerca de 500 metros (será que o dinheiro não chegou, o empreiteiro não cumpriu, ou o engenheiro se esqueceu?).
É que a existência de uma churrasqueira, para além das condições de higiene exigidas, constitui também um risco acrescido de incêndio.
Este parque se devidamente concluído até poderá ser um bom sítio para realizações conjuntas da Freguesia, uma vez que constituindo uma zona neutra, não afronta alguns rivalismos locais, que infelizmente ainda existem.
Já agora aproveito também para dar os meus parabéns, pelo facto de a cerca de 6 metros existir uma zona de vazamento de entulhos, devidamente autorizada após o parque já estar instalado.

António Duarte - Soito

António Santos disse...

Pelo que conseguimos apurar, em 2005 a C.M.Góis viu serem aprovados três projectos de prevenção a incêndios florestais, com apoios comunitários na ordem dos 80%. Acções de silvicultura preventiva ao longo da rede viária florestal e em torno de aglomerados populacionais, construção de pontos de água de combate a incêndios florestais e construção de parques de lazer, entre outros em áreas perfeitamente localizadas.
Continuamos a aguardar um ponto de água para o Colmeal. Talvez em próximos projectos.
Quanto aos entulhos despejados em frente ao parque de lazer... António Duarte dá os parabéns e nós sorrimos. Deve ser o melhor e único sítio para tal fim... ou será o aterro para um futuro parque de estacionamento?...

Anónimo disse...

Não estará na altura de as pessoas que efectuam a gestão dos dinheiros publicos usarem a maior arma que o ser humano pensante detem: Bom senso.
Não teria sido possivel pensar na utilidade que teria a utilização do parco erario publico, numa obra relacionada com a educação, com o saneamento, com o bem estar dos mais idosos que devem de poder disfrutar de qualidade de vida para os poucos dias que lhes restam?
Mas uma vez que a população jovem do Ventoso está em crescimento exponencial...
Haja bom senso, para que as gerações vindouras não sintam vergonha dos seus antepassados.

António Mendes Domingos

antónio santos disse...

Parece que o lema é: são fundos comunitários, vamos gastar!
Mas só porque são fundos comunitários vamos gastar sem ser preciso? Só para gastar o dinheiro?
Porque é que não há coragem para dizer que o dinheiro é preciso para outros fins?
Veja-se o exemplo de Cabo Verde, que necessita de ajudas exteriores, mas que tem o bom senso de dizer aos doadores para onde necessita dessas ajudas, chegando ao ponto de recusar algumas porque querem que eles gastem dinheiro onde não precisam.
E vejam como Cabo Verde está a diferenciar-se de outros países com dificuldades.
Uma boa dose de bom senso nunca fez mal a ninguém.
Sigamos os bons exemplos.