sexta-feira, 6 de julho de 2012

Necessidades do COLMEAL




Sr. Director do «Jornal de Arganil»: - Permita-me que ocupe um pequeno espaço do seu conceituado jornal, para falar do Colmeal, povoação situada em local pitoresco, onde qualquer visitante muito terá que admirar:
As belezas naturais desta terra são surpreendentes.
A povoação, que é banhada pelas águas do Ceira, está rodeada de pinhais e olivedos, emprestando-lhe tudo isto tanta beleza, que é já conhecida pela Pérola do Ceira.
Os seus habitantes são unidos e trabalhadores.
Entre os melhoramentos levados a cabo na risonha aldeia, contam-se o telefone, a reconstrução de cemitério, o posto médico, o calcetamento das ruas da povoação e a estrada Rolão Colmeal, que se encontra quase concluída pois, segundo informações, já vai um automóvel ao Roçaio.
Este melhoramento e tantos outros, devem-se à prestimosa União Progressiva da Freguesia do Colmeal, à frente da qual se encontra o incansável regionalista Sr. Dr. Manuel Martins da Cruz.
Não devemos também esquecer a dedicação da junta de freguesia do Colmeal, que tem sido incansável pelo bem da pitoresca aldeia.
Mas, se muito se tem feito, muito há ainda por fazer, como seja o acabamento da estrada, a electrificação, a Casa do Povo e o abastecimento de água, pois o Colmeal, a meu ver, é a povoação da freguesia que está mais mal servida desse precioso líquido. Possui, é certo, uma fonte, mas essa é insuficiente para o abastecimento da povoação, visto que chega a secar no tempo do estio, vendo-se os habitantes obrigados a abastecer-se dos poços, com grave perigo para a saúde pública.
Segundo nos informam, está em organização o projecto para o abastecimento de água. É bom que vá por diante tão importante melhoramento.
Havia terras na freguesia que se encontravam também em precárias condições no que respeita a abastecimento de água, entre elas, Malhada, Soito, Aldeia Velha e Carvalhal, mas agora têm água com abundância.
Necessitam bastante de arranjo a igreja, a capela das Seladas e a da povoação.
É bom que não se esqueça a reparação desses templos, pois foi ali onde nós colmealenses fomos baptizados.
Colmealenses, unamo-nos todos, porque a união faz a força. Só com perfeita união, poderemos fazer tudo de que mais necessitamos.
Lisboa, 31-7-1955. – Um colmealense.

in Jornal de Arganil Nº 1472 de 18 de Agosto de 1955
cedido por António Nunes dos Santos

Sem comentários: