quinta-feira, 22 de novembro de 2007

Obras-primas

O artesanato é, segundo alguns, uma das mais ricas expressões de um povo e uma actividade de reconhecido valor cultural e social.

O artesanato também é, para muitos, uma actividade económica. O Programa para a Promoção dos Ofícios e das Micro Empresas Artesanais tem como objectivo a valorização, expansão e renovação das artes, ofícios e micro empresas artesanais, identificando os artesãos e as actividades artesanais, conferindo-lhes maior visibilidade e valorização pessoal.
Poderemos considerar Abel Ascensão Marques como um destes artesãos.



A variedade e qualidade das suas obras em xisto são notáveis, como se pode confirmar nesta Torre do Relógio.







Foi-nos dado o privilégio (porque estão em casa dos próprios) de poder apreciar estas belas obras feitas com tanta sensibilidade, perícia e cuidado, onde a fidelidade aos processos tradicionais é notória.






Arlindo Oliveira Martins Braz e Mário Mendes Domingos são os seus autores.
Sabemos que gostariam de poder partilhar o seu trabalho dando-o a conhecer. Não o farão por vaidade pessoal, como calcularão, porque são pessoas extremamente simples e modestas.
Estamos disponíveis para os apoiar numa exposição, temporária ou permanente, porque as suas obras merecem ser apreciadas.
Outro Colmealense que já se disponibilizou para ceder algumas obras suas, feitas com pedras do rio foi Fernando Alves Caetano. Outros haverão, que serão talentos escondidos, mas que nós gostaríamos de poder revelar.

Para que tal seja realidade necessitamos de um espaço e ele existe.
Todos sabemos que ele existe, para que, entre outras coisas, possamos mostrar estas autênticas obras-primas aos Colmealenses e a quem nos visitar.
E é tão fácil e tão simples. Basta que as pessoas que decidem... o queiram.
Acreditamos que sim. Ainda acreditamos nas pessoas.

Um pouco de cultura na freguesia do Colmeal faz falta!
UPFC

1 comentário:

António Duarte disse...

Estou de facto impressionado com a actividade editorial deste BLOG, que para além da intensidade prima pelas boas ideias, das quais destaco a divulgação do artesanato regional, por ser esta uma aposta fundamental quer numa perspectiva cultural, quer numa perspectiva económica, pois não nos podemos esquecer que esta poderá uma das formas de proporcionar algum rendimento para os poucos que anda teimam em viver na nossa Freguesia.
Quando falamos de artesanato incluímos nele quase todo o tipo de produtos que ainda se vão produzindo na nossa região, incluindo o divulgado neste BLOG, os produtos da agricultura, da pecuária, os artigos de tecelagem, etc.

Para além da ideia da exposição aqui avançada, que de facto deveria ser no Colmeal por ser o ponto mais central da Freguesia, mas que poderia também ser ramificada por outras aldeias (Casa de Convívio do Soito, estará disponível), deixo a ideia de podermos fazer uma espécie de “feira” ou “mostra”, destes produtos ao ar livre, num período de 1 a dois dias, numa data em que circule mais gente pela nossa zona, por exemplo na Páscoa ou nos Feriados de Junho.

Já agora lanço também um desafio a todos os que vivem fora da Freguesia, mas que ali se deslocam com frequência, no sentido de sempre que puderem comprarem produtos ali produzidos, pois eles ainda existem e poderão ser mais se de facto houver procura. Refiro-me por exemplo a queijo, mel, cabritos, batatas, cebolas, couves, nozes, tapeçaria / tecelagem, etc.

António Duarte (CM Soito)