segunda-feira, 5 de dezembro de 2016

NATAL no COLMEAL





A União Progressiva da Freguesia do Colmeal vai realizar a já tradicional festa de Natal para os mais pequenos e para a população residente.
Será no domingo, 11 de Dezembro, pelas 11 horas, no Centro de Cultura e Convívio. Após a celebração da missa dominical.

Momentos de convívio, de ternura, de alegria e também de alguma saudade.
Um pequeno lanche, preparado com o carinho habitual. Depois, os brinquedos.
O espírito de solidariedade que sempre caracterizou o Movimento Regionalista tem-nos permitido realizar desde há algumas décadas este fraterno convívio de Natal para os que vivem nas nossas aldeias.

A generosidade dos nossos associados e das entidades que sempre nos têm acarinhado tem sido fundamental para que possamos continuar a levar até aos mais novos e aos mais idosos um pouco de amizade e de carinho, assim como alegria e palavras de conforto.

Será para todos nós muito gratificante poder contar com a sua presença.
Esperamos por si!


UPFC 

sexta-feira, 2 de dezembro de 2016

FERNANDO COSTA – Regionalista e jornalista serrano



Foi-me solicitado há alguns meses que escrevesse para a arganilia, revista cultural da beira serra, um texto sobre Fernando Costa. O número deste ano seria dedicado à imprensa periódica pampilhosense.

Receei a princípio aceitar tão grande compromisso. Mas depois, compreendi que não seria justo, para quem tão generosamente em mim estava a confiar.
A amizade que durante décadas me ligou ao Fernando Costa, os laços familiares, o acompanhamento nas lides regionalistas, foram determinantes para que assumisse uma tarefa, que sabia de antemão, não iria ser fácil.
Era conhecedor do seu vasto espólio, da existência de inúmeros dossiers repletos de recortes da participação que manteve regularmente na imprensa regional, álbuns com fotografias, estudos, livros, documentos de pesquisa, esboços, etc.

Não me compete a mim apreciar ou fazer quaisquer comentários ao que coligi para este número da revista arganilia que já se encontra disponível.
Não foi tarefa fácil, como temia. Foi uma grande responsabilidade escrever sobre um Homem como Fernando Costa. Mas, ao mesmo tempo, uma honra enorme e um gratificante privilégio.

Agradeço à sua família todas as facilidades concedidas para que este trabalho fosse possível e muito especialmente à Dr.ª Lisete de Matos, pela confiança que em mim depositou e pela ajuda amiga em momentos de algum desânimo e desorientação.

A. Domingos Santos

A Revista Arganilia pode ser solicitada para:
Custa 15,00€ + portes de correio


quarta-feira, 30 de novembro de 2016

COLMEAL - A UNIÃO PROGRESSIVA VAI A S. TOMÉ



Depois do êxito com a “Redescoberta de Cabo Verde” em Julho passado, a União Progressiva da Freguesia do Colmeal já prepara nova viagem, desta vez a S. Tomé. Uma viagem para os seus associados, familiares e amigos.
S. Tomé, com as suas belezas, tradições, sabores e odores espera-nos. Vão ser oito dias de sonho num “paraíso desconhecido”. De 21 a 29 de Julho de 2017.

Praias e roças, passeios pela cidade, excursões ao interior profundo, impressionantes quedas de água, os mercados tradicionais, a diversidade paisagística polvilhada de coqueiros e vegetação luxuriante. Pessoas simpáticas e acolhedoras que falam a nossa língua. Paisagens que só encontramos em postais ilustrados. Estes dias vão passar-se sem nos darmos conta de que teremos que regressar.




Foi-nos possível estabelecer com a Agência de Viagens um aliciante e favorável plano de pagamentos, a ser feito em mensalidades até 31 de Outubro de 2017.

Solicitamos o favor de confirmar a sua reserva o mais cedo possível, face à limitação do número de lugares, utilizando os contactos habituais: António Santos – 217153174/ 962372866 e Maria Lucília – 218122331/914815132 ou, por correio electrónico, para  upfcolmeal@netcabo.pt

PROGRAMA

21 Julho ( 1º dia – 6ª Feira ) | Lisboa – São Tomé
Em hora a indicar comparência no aeroporto de Lisboa. Formalidades e partida às 10h00m no voo TP 1527. Refeição a bordo. Chegada a São Tomé às 17h15m (duração da viagem=07h25m – paragem em Accra sem mudança de avião). Transfer ao Hotel Miramar by Pestana **** ou similar. Em hora a indicar partida para jantar em restaurante. Regresso ao hotel. Alojamento.  
Bem perto da costa da África Ocidental, poucas milhas a norte da linha do Equador, encontramos São Tomé e Príncipe. Descobertas pelos portugueses há mais de 500 anos e formadas pelo movimento da placa africana há mais de 80 milhões, estas ilhas onde o solo é fértil, a areia branca e a temperatura perfeita durante todo o ano, ainda são muito desconhecidas para a maioria dos portugueses.
  
22 Julho ( 2º dia – Sábado ) | São Tomé
Pequeno-almoço. Neste primeiro dia iremos começar a nossa descoberta pela capital de São Tomé, visitando os seus principais bairros, os seus monumentos e estabelecimentos administrativos, com o Museu Nacional no Forte de São Sebastião, Sé Catedral, os “ateliers” de artistas São-Tomenses, assim como o colorido e animado mercado, observando os locais a comprarem e a venderem mercadorias e onde os cheiros, sabores e cores imperam. Visita à fábrica de chocolate de Claudio Corallo, considerado por muitos especialistas o melhor chocolate do mundo, que fica situada no centro da vila. Almoço em restaurante. A meio da tarde regresso ao hotel. Em hora a indicar partida para jantar em restaurante. Alojamento.  

23 Julho ( 3º dia – Domingo ) | São Tomé
Pequeno-almoço. Início de visita à região Sul da Ilha de São Tomé, incluindo a Roça de Porto Alegre, passagem pelas praias do Sul, com destaque para a belíssima Praia Jalé, um santuário ecológico e local de desova para as várias espécies de tartarugas existentes no arquipélago, Praia Inhame, Praia Cabana. Passagem pelo Rio Malanza, ou Rio Malandro, como carinhosamente lhe chamam os locais, para ver a orientação da sua corrente alterar consoante as marés. Continuação, passando pela Cascata Pesqueira e pelo Rio Lô Grande. Chegada a São João de Angolares à Roça de São João para desfrutar de um almoço de degustação da autoria e inspiração do Chef João Carlos Silva, o proprietário da roça e famoso apresentador do programa “ Na Roça com os tachos “. Visita à roça de Água-Izé, Praia Micondó e à Boca do Inferno, onde se encontra um impressionante “géiser” natural. Regresso a São Tomé, capital da ilha. Jantar em restaurante. Regresso ao hotel. Alojamento.

24 Julho ( 4º dia – 2ª Feira ) | São Tomé
Pequeno-almoço. Dia livre para actividades a gosto pessoal. Em hora a indicar partida para jantar em restaurante. Regresso ao hotel. Alojamento.

25 Julho ( 5º dia – 3ª Feira ) | São Tomé – Ilhéu das Rolas – São Tomé 
Pequeno-almoço. Partida com destino ao Sul da ilha até Ponta Delgada, para embarque em lancha e partida para visita de dia inteiro com almoço ao Ilhéu das Rolas, famoso por ser o palco da linha física que assinala o grau zero da latitude do planeta. Aqui é possível observar um marco físico e o traçado onde o hemisfério norte e o hemisfério sul se encontram, bem como um marco afundado para que os mergulhadores o possam também assinalar. Tempo livre para desfrutar da maravilhosa praia de areia branca e fina, com os coqueiros inclinados que nos envolvem numa suave brisa e que nos fazem pensar: “ Que bem que se está no paraíso “. Regresso a São Tomé ao hotel ao final do dia. Jantar e alojamento.  

26 Julho ( 6º dia – 4ª Feira ) | São Tomé
Pequeno-almoço. Saída para a região Norte para visita às grandes roças onde se cultivava e produzia o cacau, com a sua arquitectura colonial e traçado caracteristicamente português. Destaque para as Roças Agostinho Neto, Bela Vista, Ponta Figo e Diogo Vaz, onde é possível fazer uma autêntica viagem no tempo e, recorrendo à imaginação, reconstituir o dia-a-dia dos trabalhadores das plantações de cacau. Continuação para Guadalupe, com passagem pela Vila das Neves, um importante porto industrial de São Tomé. Paragem em Anambó, local mítico onde desembarcaram a 21 de Dezembro (dia de S. Tomé) de 1470 os navegadores João de Santarém e Pêro Escobar que, a mando do Rei D. Afonso V de Portugal, exploravam a costa ocidental africana. Neste local é possível admirar o Padrão do Descobrimento, erguido a mando das autoridades regentes para assinalar o local de chegada dos navegadores portugueses a São Tomé. Continuação para Guadalupe para almoço. Regresso a São Tomé ao hotel e em hora a indicar saída para jantar. Regresso ao hotel e alojamento.

27 Julho ( 7º dia – 5ª Feira ) | São Tomé
Pequeno-almoço. Saída para visita à região central da ilha. O centro da ilha é o local mais verdejante da Ilha de São Tomé, e foi aqui que se iniciou a plantação de café a 800 metros de altitude, um pouco acima da pequena Vila de Trindade. Destaque para a Roça de Monte Café, a única plantação que cultiva a variedade arábica na ilha e onde é possível apreciar todas as etapas da transformação do grão. Visita também à Roça Nova Moca, que foi uma rica dependência da Roça Monte Café onde hoje se cultiva o cacau orgânico de excelência utilizado na produção dos chocolates Claudio Corallo. Passagem pela Cascata São Nicolau (visita condicionada às condições climatéricas), Jardim Botânico e Roça Bombaim. Almoço na Casa Almada Negreiros (antiga Roça Saudade). Regresso a São Tomé ao hotel e em hora a indicar partida para jantar de despedida, com pratos típicos, música ao vivo e danças tradicionais. Regresso ao hotel e alojamento.  

28 Julho ( 8º dia – 6ª Feira ) | São Tomé - Lisboa
Pequeno-almoço. Dia livre para actividades a gosto pessoal. Em hora a indicar transfer ao aeroporto. Formalidades e partida às 21h30m no voo TP 1528. Refeição e noite a bordo.

29 Julho ( 9º dia – Sábado ) | Lisboa
Chegada a Lisboa às 06h45m (duração da viagem=07h25m – paragem em Accra sem mudança de avião). Desembarque e recolha de bagagem. Fim da viagem.

PREÇO POR PESSOA | MÍNIMO 35 PARTICIPANTES
Quarto Duplo – Sócio/cônjuge:  1.687,00 € ( 1.385,00 € + 302,00 € )
Suplemento Não Sócio: 50,00 €; Suplemento Quarto Single:  375,00 €

SERVIÇOS INCLUÍDOS:   
* Passagem aérea na companhia aérea TAP ( TP ) : Lisboa – São Tomé - Lisboa em classe económica;
* Taxas de aeroporto, segurança e combustível no valor de 302,00 € (à data de 21.11.2016 e sujeitas a reconfirmação na altura da emissão das passagens aéreas);
* 7 noites de alojamento em regime pequeno almoço no hotel mencionado;
* 12 refeições ( 5 almoços + 7 jantares );
* Acompanhamento representante agência Unik durante toda a viagem;
* Autocarro de turismo conforme mencionado no itinerário, com acompanhamento guia local de idioma português;
* Visitas e entradas mencionadas no programa;
* Seguro de viagem;
* Carteira documentação com informação e mapa de viagem;
* Oferta Unik;
* Taxas hoteleiras, de turismo, serviço e IVA à data de 21.11.2016.

 SERVIÇOS NÃO INCLUÍDOS:   
* Quaisquer outros serviços não mencionados na coluna de “serviços incluídos”

 DOCUMENTAÇÃO:   
* Passaporte com validade de 6 meses à data da chegada a Portugal.

Os pagamentos deverão ser efectuados para a conta da União no Banco BPI
NIB 0010 0000 3254 3590 0015 4
IBAN PT50 0010 0000 3254 3590 0015 4

                                                                                                                       A DIRECÇÃO

sexta-feira, 25 de novembro de 2016

BELEZAS E RIQUEZAS DA SERRA. A SUPERLUA



Em meados deste mês, concretamente a 13, 14 e 15, a lua mostrava-se atraente e ostensivamente grande e brilhante, confirmando as notícias de que seria a maior desde há 68 anos. O fenómeno, que acontece quando a maior proximidade face à terra coincide com a lua-cheia, só voltará a ocorrer em 2034.

Sem idade para andar na lua antes e não prevendo estar cá para o fazer depois, aproveitei a oportunidade para a perseguir desta vez. Eu e muitos outros, segundo consta! Uma beleza de lua; mas uma desilusão fotográfica! Enquanto a televisão passava aquelas imagens fantásticas da lua a atravessar pontes ou a escalar edifícios monumentais, aqui só se via a espreitar lá de cima ou timidamente de trás das árvores, a pairar indiferente sobre as torres metálicas e cabos, que desfeiam a serra, mas produzem e transportam energia. Solidariamente e sem reciprocidade relevante!

Vista do Cabeço do Gato, a superlua não parecia nem mais nem menos bonita, apenas mais divertida com o espetáculo de corre-corre e dispara que os terrenos lhe estavam a proporcionar. Por cansaço ou “aluagem” da máquina - que não da fotógrafa -, Arganil refulgia de espanto arrastado, lá em baixo!








Lisete de Matos
Açor, Colmeal, 23 de novembro de 2016.

sexta-feira, 18 de novembro de 2016

MAGUSTO no Colmeal


Mantendo a ancestral tradição, a União Progressiva da Freguesia do Colmeal, realizou o magusto no sábado, dia 5 de Novembro.

O Colmeal acordou envolto em névoa e borrifado por alguma chuva. Ruas desertas enquanto se aguardava a chegada do autocarro, que da capital, trazia um grupo de cinquenta associados e amigos da União, que no recente almoço do 85º aniversário haviam manifestado interesse em associar-se a esta antiga tradição do magusto.



Pelo meio-dia e cumprindo o horário previsto, o Centro de Cultura e Convívio, que há pouco tempo recebeu três novos quadros oferecidos por Pedro Gaspar Freire, Ana Cândido Santos e Helena Pinho Fontes, recebeu os forasteiros e todos aqueles que quiseram participar no almoço. Depois do aperitivo, a sopa quentinha e umas trutas de escabeche, a merecerem rasgados elogios. Uma equipa de voluntários assegurou o serviço, como vem sendo hábito nas nossas iniciativas.





 










Antes das sobremesas, mais uma vez confeccionadas e oferecidas por Senhoras do Colmeal, o presidente da União, tendo como fundo algumas fotografias de fundadores da colectividade, dirigiu breves palavras aos presentes, entre os quais, vinte visitavam pela primeira vez a nossa região e o Colmeal. A União tem apostado na divulgação da freguesia e do concelho, dando, ao mesmo tempo a conhecer o trabalho desenvolvido pela colectividade ao longo dos seus oitenta e cinco anos de existência.




Pelas três da tarde, a caruma e as castanhas tomaram o seu lugar no centro do Largo D. Josefa das Neves Alves Caetano. Os torresmos, que já haviam assinalado a sua presença ao almoço, aguardavam paulatinamente a sua entrada em cena. Água-pé, jeropiga, vinho e sumos fariam companhia às castanhas que o Álvaro, o Zé Nunes e o “aprendiz” Rodrigo (de pequenino é que se torce o pepino...) volteavam com mestria.


















Com o tempo a ajudar, as conversas iam desfiando. Excelente iniciativa para, durante algumas horas, dar alguma animação e vida ao Colmeal. Experiência única para a vintena de amigos que pela primeira vez assistiam a um magusto diferente. E que adoraram. Com os dias mais curtos, havia que regressar a Lisboa. O trajecto até Góis deu para ficar a conhecer mais alguns belos recantos em que a nossa freguesia é pródiga. No Colmeal, o convívio continuou.

Ficou no ar a vontade de voltar. E voltaremos!  

UPFC
Fotos de Francisco Silva e A. Domingos Santos