terça-feira, 19 de setembro de 2017

RECONHECIMENTO


Na última Assembleia-Geral da União Progressiva da Freguesia do Colmeal foi feito o devido reconhecimento a dois associados. Reconhecimento merecido pelo trabalho que durante décadas prestaram à sua associação regionalista. À colectividade da sua freguesia, a extinta freguesia do Colmeal e à sua aldeia, aninhada entre as serras da Lousã e do Açor, o Colmeal.


António Ferreira Ramos nasceu no Colmeal em 10 de Janeiro de 1927. Filho de José Santos Ferreira e Maria do Carmo Santos. Na sua juventude, soube como era difícil a profissão de mineiro, quando a Europa sofria então os horrores de uma guerra. Sócio admitido em 1944, aprovado em reunião de Direcção em 14 de Abril. Proposto por José Henriques de Almeida, um grande nome do regionalismo, da aldeia do Sobral.

É eleito para o seu primeiro cargo em Assembleia-Geral de 25 de Janeiro de 1952, data que está ligada também ao desaparecimento de um enorme vulto da União, um dos seus fundadores, António Domingos Neves. Ferreira Ramos entre Direcção, Conselho Fiscal, Comissão de Festas e Assistência exerceu variadíssimos cargos, até que em Fevereiro de 2005, pediu para “dar lugar aos mais novos”.

Em Maio, fizemos-lhe a surpresa de uma visita. Recebeu-nos com alegria. Mostrou-nos as instalações que agora o acolhem, autêntico cicerone, e onde no seu quarto, diversas fotografias do Colmeal lhe recordam a sua aldeia. Entregámos-lhe uma placa alusiva à sua nomeação como Sócio Honorário. Inevitáveis a lágrima e a comoção. Simples e humilde, como sempre foi, como sempre o conhecemos, dizia-nos “que não merecia, que não era preciso…”. Estava feliz. Ficou feliz. A placa está hoje junto à sua mesinha de cabeceira. A União continua perto dele. E ele perto da sua União.


António Luís Nunes Duarte, filho de Francisco Luiz e Maria Preciosa, nasce já em Lisboa. Em 19 de Setembro de 1927. Faz hoje precisamente 89 anos. Admitido como sócio em 13 de Setembro de 1944, por proposta de seu pai, um nome inquestionável no regionalismo perpetuado numa rua do Colmeal. Integra a Direcção entre Março de 1958 e Maio de 1961. Motivos profissionais que o colocam a apreciável distância da capital não são impeditivos de continuar a colaborar com a colectividade. E assim, durante mais de cinquenta anos, assumiu a responsabilidade de garantir a complexa tarefa da execução da contabilidade, com muito zelo e eficiência. Lançamentos à mão, escrituração dos livros obrigatórios, mapas contabilísticos, outros tempos. Até que os olhos se começaram a queixar do esforço. E todo este trabalho sem custos para a União.

Anunciámos a visita e confidenciámos o propósito da mesma. Escusou-se. Que não. Que não. Não queria nada. Mas, depois reconsiderou. Recebeu-nos com a habitual simpatia. Falámos do Colmeal, do passado, do presente e do futuro. Recordámos e passamos em revista muitos dos anos de regionalismo. Os intervenientes, as grandes dificuldades, o surgimento de colectividades por todas as aldeias. Os que entretanto desapareceram. António Luís e Ferreira Ramos são, neste momento os dois sócios mais antigos da União progressiva da Freguesia do Colmeal. Mas não foi pela sua antiguidade que foram nomeados sócios honorários. Foi pelo seu trabalho, pela sua dedicação. E que sejam um exemplo a seguir.

A União Progressiva da Freguesia do Colmeal, a comemorar oitenta e seis anos de existência, tem um enorme orgulho em que HOMENS como estes façam parte do seu historial associativo.

A Direcção
19 de Setembro de 2017

Sem comentários: