quarta-feira, 22 de maio de 2013

ECOMUSEU DA SERRA DA LOUSÃ


No próximo dia 25 de Maio a União Progressiva da Freguesia do Colmeal, de acordo com o seu programa de actividades para o presente ano, e como tem vindo a divulgar, vai levar à serra da Lousã um grupo de sócios e amigos, entre os quais se encontram vários Comandos desejosos de conhecer a região, as suas gentes, as suas belezas naturais, a gastronomia e a sua cultura. Uma das visitas a efectuar será ao Museu Etnográfico da Lousã.



Este museu surge, por um lado, pela necessidade de se preservar a cultura popular e, por outro, pelo desejo manifestado, pelo médico de raízes serranas, Dr. Louzã Henriques, de colocar ao dispor da comunidade, a sua colecção etnográfica, que guardava em sua casa, em Coimbra. O espólio foi também enriquecido com materiais provenientes da colecção do Museu Municipal da Lousã e de doações de particulares.





No rés-do-chão do edifício foram instalados os núcleos mais pesados e com uma leitura mais inter-relacional. Aqui foi colocada a colecção de veículos de tracção animal (carros de bois e de muares) e de cangas (de trabalho e de festa), obedecendo a um critério simultâneo de proveniência geográfica e de tipologia evolutiva.
Numa outra ala deste piso foi colocada a colecção de arados e charruas e de grades, obedecendo ao mesmo critério evolutivo. A acompanhar este percurso, tendo sempre presente no discurso expositivo a evolução do homem, na sua passagem de nómada para sedentário e a revolução que representa a agricultura para a melhoria das suas condições de vida, alguns exemplares de trilhos, bem como, genericamente, diversas ferramentas ligadas ao amanho da terra, aos cereais, à fruticultura, aos pastos, etc., havendo ainda espaço para núcleos ligados á matança do porco e à olaria.



No primeiro andar encontra-se a área dedicada às exposições temporárias, serviços educativos e auditório.









No segundo andar vamos encontrar alguns pequenos núcleos que se pretendem demonstrativos de outras tantas actividades agrícolas ou artesanais, uma recriação de uma cozinha serrana da Serra da Lousã, em que marca lugar o tradicional “caniço”, para a castanha pilada; ferramentas de resineiro; núcleo do pão (manguais, medidas, peneiras e joeiras, pás, balanças e moinhos/mós manuais); núcleo do azeite (mó e capachos, latas de azeite, almotolias e candeias); núcleo do ferreiro / latoeiro com suas ferramentas e fole; núcleo dedicado à apicultura; núcleo do linho e da lã; núcleo do queijo e núcleo do sapateiro.

Em todas as actividades implementadas está presente a ligação ao território e à comunidade. Um museu de expressão nacional, que “tem lá o coração do povo português”, como disse Louzã Henriques.

Info C. M. Lousã
Fotos de A. Domingos Santos

Sem comentários: