sábado, 20 de fevereiro de 2016

PADRE ANDRÉ recordado in ARGANILIA 2015


Saiu recentemente o nº 28 de ARGANILIA, a revista cultural da Beira Serra, um projecto idealizado pelo Prof. João Alves das Neves que dedicou quase toda a sua vida à cultura, nomeadamente à lusofonia, com particular destaque para as relações Luso-Brasileiras, cultura e identidade da Beira Serra e a Fernando Pessoa, tendo fundado o Centro de Estudos com o nome do escritor, a que também presidiu. Entre os muitos livros de sua autoria, cerca de trinta, realçamos "Dicionários de Autores da Beira-Serra", a que neste espaço nos referimos em 29 de Novembro de 2008.

Nuno Mata que após o desaparecimento físico do Prof. João Alves das Neves em 12 de Janeiro de 2012 assumiu a continuidade da revista, tem conseguido ao longo dos últimos números que dirigiu, a imprescindível e fundamental colaboração de pessoas da Beira Serra, a ela ligadas ou mesmo sem qualquer ligação, mas que viram na revista a possibilidade de deixar aos vindouros as suas pesquisas, opiniões e trabalhos culturais e intelectuais.


Este número de 2015 da revista tem como tema de capa o Reverendo Padre Januário Lourenço (Vila Cova de Alva, Barril de Alva e Anceriz) e, nomeadamente, a sua contribuição cultural para a Beira Serra através do jornal que editou, Ecos do Alva.
Das várias contribuições dadas a este número de Arganilia salientamos a da Dr.ª Lisete de Matos, natural do Açor onde vive, nossa associada e colaboradora regular neste espaço de divulgação da União Progressiva da Freguesia do Colmeal.


Lisete de Matos deleita-nos com a sua escrita em mais de um terço da revista, revista que mudou muito, se comparada com os seus números de há anos.
“André de Almeida Freire, do Homem e do Sacerdote”, é o título deste seu trabalho, que, segundo a autora, “constitui uma primeira aproximação ao registo da memória do padre André de Almeida Freire, uma personalidade incontornável da vida da serra, entre 1930 e 1960 do século passado”.
Figura hoje simultaneamente real e mítica, revisitando-a, revisitamos também a população, os modos de vida e a história de uma época que veio a revelar-se decisiva para a configuração social do presente e, provavelmente, também do futuro”

No livro de João Barreto Nogueira Ramos “GÓIS EM REDOR DE 12 PESSOAS [1114-2014] ”, Lisete de Matos fora em Abril de 2014 responsável por um dos capítulos que titulou de “André de Almeida Freire (1901-1962) O Peregrino da Serra” e que aqui demos notícia no mês seguinte.
Este seu recente trabalho agora publicado na revista Arganilia levou a autora “ a aprofundar a vertente biográfica, em detrimento da histórico-social, que predominava” tendo para isso recolhido informação e depoimentos que enriquecem a versão inicial.
Como se pode ler na página 72 “O trabalho é constituído por três partes indissociáveis: uma primeira relativa ao território onde o padre André nasceu e exerceu o sacerdócio; uma segunda de índole biográfica e factual; e uma terceira, essencial, de caracterização pessoal e sociopastoral, com base em testemunhos atuais e retirados da imprensa regional da época.”

Bem-haja Dr.ª Lisete de Matos por este trabalho que lemos de um fôlego, pelo enorme interesse que desperta, sobre “O Padre André, espadaúdo, simples, alegre… que aos seus filhos serranos, mirrados de trabalho, distribuía conforto e esperança” como se lhe referiu Urbano Duarte, cónego e amigo, no Correio de Coimbra.

A revista pode ser adquirida no Clube de Vídeo em Coja, ou, por correio electrónico para euskadi@gmail.com ou revistaarganilia@gmail.com (€13,80 com os portes de correio já incluídos).


A. Domingos Santos

sábado, 13 de fevereiro de 2016

I PASSEIO TT – ROTA DAS COLMEIAS é no dia 28



A União Progressiva está a desenvolver esforços para que esta iniciativa, a primeira do género na nossa Freguesia, seja coroada de êxito.

Num percurso delineado por montes e vales, por aldeias e casais. Subidas íngremes, descidas acentuadas. Paisagens maravilhosas que nos envolvem, que nos rodeiam, que nos cativam. As nossas serras são lindas. As acácias começam a dar-lhes aqui e ali um tom amarelado. O Ceira lá em baixo, lá no fundo a correr sem pressas. Ribeiras a espreguiçarem-se pelos barrocos. Pequenas quedas de água.



Será assim desde o Colmeal – Senhor da Amargura, subindo ao Sancho, descendo ao Vale da Bica para o Soladinho. Pelo Vale da Ramalheira, Estrada da Fonte da Corte, Cimo do Brejo. Por aqui irão passar os participantes. Seguem-se a Portela, Vale da Lobeira, Estrada do Açor, Relva do Meio e a Panasqueira.

Cabeço do Gato. De onde a nossa vista se perde nas lonjuras, a paisagem é soberba, deslumbrante. Buçaco, Caramulo e Estrela são algumas das serras que o olhar ainda consegue descortinar lá longe. Serranias polvilhadas de aldeias, casais e lugarejos. Arganil sobressai. Olhando para o outro lado, Carvalhal, Aldeia Velha, Malhada, e o Soito um pouco mais abaixo.
 
 

E o I PASSEIO TT – ROTA DAS COLMEIAS continua. Por Mimosa, Rabadão e Candosa num sobe e desce de respeito. Estrada da Ribeira do Carvalhal, Caminho da Missa do Carvalhal (curiosa esta designação), Poesia e Aldeia Velha, onde se fará uma pausa para um “reforço alimentar” nas instalações da Liga dos Amigos de Aldeia Velha e Casais, que assim colabora solidariamente nesta iniciativa.



Uma subida ao Posto de Vigia onde a vista é deslumbrante. Depois, continuação pela Quinta das Águias, um sonho tornado realidade por Manuel Nunes de Almeida há cerca de seis décadas.
Loural, que ficou deserto de pessoas, deserto de vida anos atrás e hoje se apresenta tão diferente com a recuperação do seu casario de pedra e de telhados de loisas.
Ventoso, Pontão, Portela e Colmeal.




Na Portela haverá uma Pista de Obstáculos, facultativa, para quem a desejar fazer.
Será interessante ver o que os mais afoitos conseguem.
No final do dia, o jantar de convívio e a distribuição de lembranças aos participantes e aos convidados.

Esperamos por si. Venha ao Colmeal. Vai valer a pena.

UPFC
Fotos de A. Domingos Santos

segunda-feira, 8 de fevereiro de 2016

UNIÃO VAI ÀS ALDEIAS HISTÓRICAS


10 a 12 de Junho de 2016








Cara(o) Associada(o),

A União Progressiva da Freguesia do Colmeal propõe-lhe um aliciante programa para visitar as Aldeias Históricas no fim-de-semana de 10 a 12 de Junho próximo.

Venha descobrir e apreciar os recantos, as belezas desconhecidas e inesperadas destas aldeias que guardam testemunhos de séculos da nossa história.

Sugerimos uma leitura atenta ao programa detalhado que anexamos.

Agradecemos que proceda à sua inscrição tão cedo quanto possível para os contactos habituais: António Santos – 962372866, Maria Lucília – 914815132 / 218122331 ou Artur Fonte - 936049481.

Sem outro assunto de momento e na expectativa de podermos contar com a sua estimada presença, subscrevemo-nos com os mais cordiais cumprimentos,

António Domingos Santos
Presidente da Direcção                                                          
Lisboa, 8 de Fevereiro de 2016 



UNIÃO PROGRESSIVA DA FREGUESIA DO COLMEAL

Viagem pelas Aldeias Históricas - 10 a 12 Junho 2016
Castelo Novo | Idanha-a-Velha | Monsanto | Sortelha | Almeida 
Castelo Rodrigo | Marialva | Trancoso | Linhares

10 Junho ( 1º dia – 6ª Feira ) | Lisboa – Castelo Novo – Monsanto - Penamacor
Partida de Lisboa – Sete Rios às 07h30m (comparência 15m antes) para visita de algumas das 12 aldeias históricas de Portugal que formam um acervo único da história do país. Visita à aldeia histórica de Castelo Novo, que possui um castelo a 650m de altitude, ponto evidente da organização do povoado. Paragem para almoço (bebidas incluídas). Continuação até Idanha-a-Velha, pequena aldeia que ainda hoje conserva um notável conjunto de ruínas. Seguidamente visita à “aldeia mais portuguesa”: Monsanto, situada num ponto estratégico, onde ainda hoje se mantêm as tradições como é o caso do adufe. Destaque para o que resta do Castelo na escarpada encosta onde se pode observar a alcáçova, a cintura de muralhas e torres de vigia, bem como as belíssimas ruínas da Capela de S. Miguel do séc. XII, e a Capela de Santa Maria do Castelo. Após a visita, continuação para Penamacor, até ao Hotel Palace Termas de São Tiago ****. Jantar (bebidas incluídas) no hotel. Alojamento.

11 Junho ( 2º dia – Sábado ) | Penamacor – Castelo Rodrigo – Trancoso
Pequeno-almoço. Partida em direcção a Sortelha uma das mais bonitas aldeias históricas portuguesas. Destaque para o pelourinho manuelino e as suas casas brasonadas. Continuação por Sabugal, Rapoula do Côa e Almeida. Visita à vila que ainda hoje mantém o seu duplo sistema fortificado, símbolo do seu passado na defesa da linha fronteiriça. Almoço (bebidas incluídas).Visita à emblemática aldeia fortificada de Castelo Rodrigo, ainda com um elevado nível de conservação aliado a uma bonita paisagem. Continuamos a viagem até à bem conservada vila de Pinhel, seguido de visita de Trancoso, localizada no topo de um planalto, de onde se avista um vasto território entre a serra da estrela e o vale do Douro. Trancoso desenvolveu-se em torno do seu castelo, fundado nos séculos VIII-IX, com o seu ar medieval lembrando as “trovas” de Gonçalo Annes, apelidado de Bandarra pelos seus contemporâneos e conhecido como o “Nostradamus português”. Transfer ao Hotel Turismo Trancoso ****. Jantar (bebidas incluídas) no hotel. Alojamento.

12 Junho ( 3º dia – Domingo ) | Trancoso – Marialva - Linhares da Beira - Seia – Lisboa
Pequeno-almoço. Partida para Marialva, constituída por três núcleos distintos: a Cidadela ou Vila no interior do Castelo, agora despovoada, o Arrabalde que prolonga a Vila para além da zona amuralhada e a Devesa, situada a sul da Cidadela, que se estende pela planície até à ribeira de Marialva e assenta sobre a antiga cidade romana. Continuação da viagem até Linhares da Beira, vila de fundação medieval e onde o castelo, implantado num cabeço rochoso a 820m de altitude e dominando o Vale do Mondego, constitui o núcleo gerador do aglomerado. Destaque para as casas nobres com as suas janelas e portas decoradas ao gosto manuelino e para a judiaria, onde sobre a porta de acesso ao bairro se encontra uma das mais elaboradas janelas manuelinas de Linhares. Partida para Seia e breve visita antes do almoço (bebidas incluídas) no Museu do Pão, onde terá lugar um passeio de comboio para ficar a conhecer este complexo museológico fazendo uma pequena viagem ao mundo do pão. Após o almoço, partida para Lisboa. Chegada ao fim do dia. FIM DA VIAGEM.


PREÇO POR PESSOA

Mínimo 50 participantes
Sócio/conjuge - Quarto Duplo | 250,00 €; Quarto Síngle | 290,00 €
Suplemento Não Sócio | 20,00 €

SERVIÇOS INCLUÍDOS

·         Transporte em autocarro de turismo no itinerário mencionado;
·         Guia acompanhante Unik durante toda a viagem;
·         2 noites de alojamento em regime de pequeno almoço nos hotéis mencionados ou similares;
·         5 refeições com bebidas incluídas (3 almoços + 2 jantares);
·         Visitas às aldeias históricas;
·         Entrada Museu do Pão e comboio;
·         Seguro de viagem;
·         Carteira documentação com itinerário de viagem;
·         Taxas de serviço e IVA à data de 27.01.2016.

SERVIÇOS NÃO INCLUÍDOS

·         Quaisquer outros serviços não mencionados na coluna “serviços incluídos”.

MODO DE PAGAMENTO

·         62,50€ em Fevereiro, Março e Abril e o restante até 20 de Maio
·         NIB da União no BPI p/ transferências Multibanco 0010 0000 3254 3590 0015 4
·         IBAN p/transferências bancárias PT50 0010 0000 3254 3590 0015 4