segunda-feira, 23 de dezembro de 2013

Agremiações Regionalistas


   Festejou mais um aniversário a União Progressiva da Freguesia do Colmeal.
  Não podemos deixar passar este facto sem a nossa referência especial, não só pela grande satisfação que ele nos dá, como porque esta colectividade tem jus á nossa particular consideração pelo muito que já tem feito e pelo que se propõe fazer.
   Não é sem um cunho de verdadeira sinceridade que nos mostramos satisfeitos com a sua vitalidade e desejamos os seus progressos. É que a União Progressiva, embora não tivéssemos concorrido directamente para a sua organização, é a realização de um sonho que aspirávamos ver satisfeito.
   Sabe o leitor porquê? Conhecedor, e convivendo há muitos anos – quase sessenta – com a grande colónia colmealense, lamentávamos vê-la desunida, isto é, dispersa, sem a orientação que a valorizasse e a tornasse útil a si própria e à sua terra.
   Essa união fez-se e teve a organizá-la um dos mais humildes colmealenses, o qual soube chamar a si elementos de boa vontade cuja inteligência viu a utilidade da agremiação.
   Vimo-los no seu começo e ficámos encantados com a forma carinhosa e entusiástica como se trabalhava na sua organização.
   Nós que tanto desejávamos ver os patrícios afastados da taberna e dos lugares de onde só prejuízos lhe podem advir, não podemos deixar de sentir um grande prazer, vendo o nosso desejo a caminho da sua realização.
   Depois de organizada a União, foi-se buscar alguém que, novo, enérgico e inteligente, soube aproveitar os entusiasmos da primeira hora, dando à agremiação um impulso que lhe imprimiu vida pelos efeitos produzidos e pelo valor manifestado.
   Queremos referir-nos ao Sr. Manuel da Costa, a quem não podemos deixar de prestar a nossa sincera e muito merecida homenagem.
  Sua Excelência talvez não nos leia, mas o nosso fim é mostrar àqueles que o desconheçam, a conta em que deve ser tido o relevante serviço que este ilustre colmealense prestou á sua terra, não só conseguindo para ela um valioso melhoramento, mas também, firmando e valorizando a agremiação que muito mais pode e há-de fazer. Bem-haja, e não abandone o lugar.
   Dizia-nos há dias, numa sua carta, um colmealense que em longes terras labuta para sua sustentação e da sua família, referindo-se à acção das Comissões de melhoramentos da nossa região:


   «Pelo que vejo e tenho lido através da Gazeta e da Comarca, os povos das serras, nestes últimos anos, têm sabido cumprir com os seus deveres, unindo-se a fim de conseguirem melhoramentos para as suas aldeias. – O chafariz do Colmeal, por exemplo, parecia uma obra irrealizável, devido á má política que se comprazia em trazer o pobre povo iludido com falsas promessas. Devido á fundação da União Progressiva, não só se realizou esse tão necessário e desejado melhoramento, mas foi mais além: já tem um marco fontenário à Cruz da Rua, representando tudo isto um enorme benefício para a povoação. E a estrada, outra coisa que parecia não ter solução, está em vias de facto.
  - E as pequenas aldeias do concelho da Pampilhosa, que noutro tempo não eram conhecidas pelos jornais, já dão sinal de vida, reclamando a sua cota parte no progresso.
   - Tudo isso dá satisfação a quem longe da terra que lhe foi berço moureja».
   É assim mesmo. São os que mourejam longe da sua terra que, maior satisfação sentem em saber os povos da sua região possuidores de benefícios que lhes tornam mais suave e humana a existência.
   A nossa região possui grande número de agremiações regionais, sendo o concelho de Góis o que hoje as tem em maior e mais profícua actividade. Seja-nos permitido destacar as do Colmeal, Cadafaz, Cortes e Amioso Fundeiro, cujos serviços e benefícios já prestados são de muito apreciável importância.
   Enumerá-los seria tarefa agradável, mas difícil, tantos já eles são.
  Sem desprimor para os bons e desinteressados colaboradores, queremos deixar aqui registados os nomes dos homens que lhes têm imprimido estímulo, insuflado vida e levado á útil e fecunda produtividade. São eles os Srs. Manuel da Costa, do Colmeal; Cláudio dos Santos, de Cadafaz, Manuel Marques, de Cortes e Eugénio Nunes, de Amioso Fundeiro.
   Estes homens, tendo a sua vida organizada e fixada em Lisboa, têm lutado com o maior zelo e carinho em prol das terras a que estão ligados ou onde nasceram.
  Têm muitos e bons colaboradores, mas, nestas obras, não podem ser dispensados os chamados carolas, sem os quais não é raro ver falhar as melhores intenções e boas vontades por falta da mola impulsiva.
   Devem saber aproveitar-lhes a sua acção enérgica e bem intencionada, e não lhes negar todo o auxílio, pois, com isso, só benefícios advirão para o bem comum.
   As Câmaras Municipais, auxiliando e colaborando com tão valiosos elementos, prestarão aos povos seus administrados grandes melhoramentos sem grande dispêndio para os cofres do Município.
   No nosso concelho da Pampilhosa, também já a acção das comissões de melhoramentos se vai fazendo sentir e alguns benefícios tem produzido. No entanto, as sedes das freguesias, de onde deveria partir o estímulo, são as que se conservam alheadas a tão úteis como valiosos elementos de acção.
  A freguesia do Pessegueiro, uma das que maior número de bons elementos possui, conserva-se indecisa quando tanto e bom poderia produzir.
  É ver o resultado dos apelos que têm sido feitos para melhoramentos locais: pontes, captação de água, cemitério, etc. Não tem faltado o seu apoio, espontâneo ou não.
   Conveniente é que se unam, pois unidos e organizados, muito mais e melhor podem fazer com menos esforço.

 ALVES CAETANO
in A Gazeta das Serras, nº 80, 25 de Outubro de 1938
O Apostolado Cívico pela Escrita, pág. 456 e 457, Lisboa 2013   
Foto dos Arquivos da UPFC


Nota: O chafariz do Colmeal, referido no artigo supra, foi a primeira obra da União Progressiva na sede da freguesia e foi inaugurado em 26 de Setembro de 1937. Poderá recordar a nota que em 2 de Março de 2008, a propósito desse acontecimento, inserimos neste blogue, clicando aqui em Cantinho da Saudade.

Sem comentários: