segunda-feira, 30 de setembro de 2013

Biblioteca da União com novos títulos





A Biblioteca da União tem vindo a receber com certa regularidade novos livros, muitos dos quais saídos recentemente.

Está neste caso o livro “Os Privilegiados” de Gustavo Sampaio, de Julho de 2013, edição de a esfera dos livros.
Natural de Coimbra é jornalista freelancer, licenciado em Jornalismo (Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra), pós-graduado em Direitos Humanos (Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra) e mestrando em Ciência Política e Relações Internacionais (Universidade Católica Portuguesa).

Como se lhe refere Ana Cristina Leonardo em ATUAL – Expresso Nº 2129 – 17Ago2013, “O título pode não ser completamente esclarecedor, já que os privilégios a que se refere não são regalias adquiridas nem por nascimento nem por mérito. Não são sequer privilégios de classe. A haver uma definição, são privilégios de casta. E algo vai mal quando políticos e ex-políticos formam uma casta. Mas é isso que transparece no final da leitura. “Os Privilegiados” não revela informação classificada, não faz denúncias bombásticas e distancia-se da conclusão populista: “Os políticos são todos iguais.” O autor cita Orwell: “São todos iguais, mas alguns são mais iguais do que outros”: são os segundos que lhe interessam. Lóbis, tráfico de influências, retribuição de favores, leis que permitem tal estado de coisas. “Isto não tem que ser assim”, escreve-se no final da Introdução. Mas é. Gustavo Sampaio tem aqui muito trabalho. Movendo-se como uma formiga diligente por carreiros intrincados, vai registando pacientemente a arquitectura do conjunto. Deputados que deputam indiferentes aos conflitos de interesses, legislação que garante mordomias de exceção, vasos comunicantes entre cargos públicos e grandes empresas (com as quais o Estado assina contratos), genealogias perenes, exemplos de outros países que provam que, de facto, “não tem que ser assim”. Numa frase: a estratégia da aranha exposta a quem a quiser ver.”

“Salazar – Portugal e o Holocausto” de Irene Flunser Pimentel e Cláudia Ninhos, é um outro livro recente, de Março de 2013 em uma edição de Círculo dos Leitores.
Irene Flunser Pimentel é mestre em História Contemporânea (Século XX) e doutorada em História Institucional e Política Contemporânea, pela faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa. É investigadora do Instituto de História Contemporânea da mesma Universidade.
Cláudia Ninhos é investigadora do Instituto de História Contemporânea da Universidade Nova de Lisboa. Licenciada em História obteve posteriormente o grau de Mestre em História e actualmente prepara o doutoramento.

“A amplitude dos massacres cometidos pelos nazis, responsáveis por um devastador número de mortes, tornou impossível mantê-los no desconhecimento da opinião pública. É, por isso, importante compreender o que se sabia entre os Aliados, no Vaticano e nos países neutros, incluindo em Portugal.” Lê-se na contracapa, onde da Introdução se transcreve ainda a seguinte parte “Quando tiveram conhecimento do genocídio que estava a ocorrer no leste europeu e que fizeram para salvar as vítimas? Se quisessem, poderiam os Aliados e os países neutros ter feito algo mais para salvar estas vítimas, perante as ameaças de que foram alvo? A chegada das informações sobre o Holocausto passou por várias fases, desde a sua receção até à tomada, ou não, de posição. O facto de os governantes ocidentais terem recebido inúmeras informações sobre o que estava a ocorrer na Polónia e, depois, na União Soviética não implicou, contudo, que os relatos fossem aceites e compreendidos. Ou seja, havia informação disponível, mas existiria o conhecimento necessário para que fosse compreendida? Este livro procura, afinal, dar resposta a estas, e a outras questões, em torno do envolvimento de Portugal no Holocausto. É um livro de duas historiadoras portuguesas de gerações diferentes, com experiência e até opiniões diversas, que se têm dedicado ao estudo do relacionamento entre o Portugal de Salazar e a Alemanha de Hitler, que se juntaram em torno de uma curiosidade comum, procurando contribuir para responder a estas perguntas.”

“As mais bonitas praias de sonho” é um outro título a enriquecer a Biblioteca da União.
Com texto de Birgit Adam e Claudia Piuntek é “Um livro entusiasmante que irá conquistar todos aqueles que gostam de viajar, bem como os amantes da natureza e os aventureiros intrépidos.
Praias selvagens, a imensidão do mar, ar puro e limpo e uma maravilhosa sensação de liberdade – os ingredientes perfeitos para umas férias de sonho!
Descubra e aprecie os locais com areias finas e palmeiras que se espelham nas águas cristalinas, bem como as mais bizarras costas alcantiladas e outras paisagens de enorme beleza.
Graças às fotografias a cores de grande qualidade, da autoria dos melhores fotógrafos da natureza, e aos textos muito informativos, este livro permite-nos partir numa viagem de descoberta através das mais deslumbrantes praias do mundo: da Europa à América, passando pela Ásia e pela África, da Austrália e Oceânia à Antárctida. De forma a permitir uma melhor orientação, o livro dispõe de mapas de grande dimensão relativos a cada um dos continentes e ainda de um índice remissivo pormenorizado.”

O carinho, o interesse e a generosidade de alguns sócios e amigos da União que sabem e reconhecem como os benefícios da leitura são importantes na formação das pessoas têm permitido engrandecer e diversificar o acervo da nossa biblioteca.
O nosso muito sincero Bem-Haja.


UPFC
  

1 comentário:

Anónimo disse...

http://osprivilegiados.blogspot.pt/