terça-feira, 22 de maio de 2012

Guimarães- Capital Europeia da Cultura 2012 - 1ª. parte
















Atravessámos a cidade que tudo deve ao Douro, o mais caudaloso rio da Península Ibérica. Alguns barcos rabelos atracados nas suas margens recordam-nos como era feito o transporte do vinho do Porto que hoje é conhecido e apreciado em todo o mundo. O Centro Histórico do Porto, a área mais antiga da cidade, está classificado pela UNESCO como Património Cultural da Humanidade desde 1996.
No tour panorâmico passámos pela Casa da Música conhecida pelo arrojado e polémico projecto de arquitectura, Igreja da Venerável Ordem Terceira de São Francisco, Convento de Santa Clara, pela Sé Catedral com o seu pelourinho, Câmara Municipal, pela Torre dos Clérigos com o seu elegante perfil e a tão conhecida Avenida dos Aliados. Andámos pela tão carismática Ribeira e atravessámos a Ponte de D. Luís, bela e excelente estrutura em ferro para de seguida efectuarmos a visita à Porto Cálem, uma das Caves do Vinho do Porto, cujos néctares de qualidade superior têm sido reconhecidos através de sucessivos prémios nacionais e internacionais. Nas caves o vinho repousa durante longos anos até atingir o equilíbrio perfeito e foi-nos explicado como distinguir os diferentes aromas e paladares na prova de degustação que se seguiu. Em Dezembro de 2001, o Alto Douro Vinhateiro foi considerado também pela UNESCO como Património da Humanidade.





O cruzeiro das 6 pontes proporcionou-nos uma visão diferente das duas margens. As pontes de D. Maria, projectada por Gustavo Eiffel, a de D. Luís, a da Arrábida, de Edgar Cardoso, considerada uma arrojada obra de arquitectura a nível mundial, a ponte S. João com a sua ligação ferroviária, a do Freixo e a do Infante D. Henrique. O Mosteiro da Serra do Pilar sobressai pela sua localização, as “casas magrinhas” da Ribeira junto ao rio, vivas e coloridas, o Barredo, o Paço Episcopal, os Codeçais, os Guindais, enfim, autênticos presépios só possíveis nesta paisagem ímpar. 










Rumámos a Braga. Os hotéis do Bom Jesus esperavam-nos para o jantar e para um merecido descanso. Lá do alto a paisagem nocturna era magnífica para a cidade que este ano foi considerada Capital Europeia da Juventude. 
Pela manhã uma visita ao Santuário que é considerado a maior atracção turístico-religioso da cidade e da região. É uma referência obrigatória do Barroco europeu que evidencia a própria evolução da arte-bracarense e cujas origens remontam ao princípio do século XIV. As escadarias em ziguezague com uma capela de cada lado e a Igreja no cimo das escadas são os pontos de maior interesse.

Fotos de A. Domingos Santos
Fotos dos grupos – Caves Cálem

Sem comentários: