domingo, 16 de outubro de 2011

Clássicos na Biblioteca da União


Com uma nova apresentação, mais leve, apelativa e mais aliciante, a Biblioteca da União irá disponibilizar muito em breve aos seus leitores estes cinco clássicos da literatura portuguesa.


“Os Maias” de Eça de Queirós, “As Pupilas do Senhor Reitor” de Júlio Dinis, “Os Lusíadas” de Luís de Camões, “Amor de Perdição” de Camilo Castelo Branco e “Frei Luís de Sousa” de Almeida Garrett apresentam-se agora com uma nova roupagem, mais alegre e cativante dos olhares de quem aprecia a boa leitura e que encontra nos nossos autores motivos de sobra para passar momentos inesquecíveis acompanhando as diversas personagens criadas para nosso deleite.

Eça de Queirós (Póvoa de Varzim, 25.11.1845-Paris, 14.08.1900) foi uma figura cimeira da literatura portuguesa do sáculo XIX, considerado o principal representante do nosso realismo literário e foi também figura destacada no panorama cultural e político da época. “Os Maias”, publicado em 1888, é o mais aclamado dos seus romances. Nele acompanhamos a história de uma família, os Maias, ao longo de três gerações, com especial enfoque na última, encarnada em Carlos da Maia. É um romance incontornável, que representa um marco na história da literatura, pelo quadro que faz da sociedade portuguesa de oitocentos.

Júlio Dinis, pseudónimo de Joaquim Guilherme Gomes Coelho, nasceu e morreu no Porto (1839-1871). “As Pupilas do Senhor Reitor”, o seu primeiro romance, tem como pano de fundo a vida rural tão característica nas suas obras. As pupilas, Margarida e Clara, são as personagens femininas centrais da obra, meias-irmãs órfãs, com personalidades muito diferentes, adoptadas pelo Reitor. E depois, há também os dois filhos de José das Dornas, o Daniel e o Pedro, as intrigas e muitos desencontros que prendem a atenção do leitor até ao fim.


“Os Lusíadas”, poema épico de Luís de Camões, é provavelmente a mais importante obra da literatura portuguesa, onde se narra a história e os feitos da nação portuguesa, centrada sobretudo na descoberta do caminho marítimo para a Índia. Luís Vaz de Camões terá nascido em Lisboa no ano de 1524 e falecido na mesma cidade em 10 de Junho de 1580. É considerado o mais importante poeta da história da literatura portuguesa.

Camilo Castelo Branco (Lisboa, 16.03.1825-S. Miguel de Seide, 01.06.1890) teve a sua vida marcada pelo estigma do nascimento irregular e pela orfandade precoce. A sua vida amorosa também precoce, riquíssima e dramática, ficou famosa pela sua paixão por Ana Plácido, que viria a ser a mãe dos seus filhos e o grande amor da sua vida. Em “Amor de Perdição”, Simão Botelho e Teresa de Albuquerque pertencem a famílias distintas, que se odeiam. Os dois acabam por se apaixonar, mas o pai dela acaba por a internar num convento. E depois, …


Almeida Garrett (Porto, 1799-Lisboa, 1854) estudou Direito em Coimbra. As suas influências liberais vêm desse tempo. A Vila-Francada leva-o a exilar-se em Inglaterra onde toma contacto com a literatura romântica. Tem uma obra vastíssima onde “Frei Luís de Sousa” é considerada como a obra-prima do teatro românico português e uma das obras-primas da nossa literatura. D. Sebastião, rei de Portugal, desaparecera em Alcácer-Quibir em 1578 e com ele estava também D. João de Portugal, marido de Madalena de Vilhena, que após sete anos de ausência do esposo se casa com outro nobre…

Para além destes cinco clássicos que agora lhe referimos, outros há à sua disposição e que poderá levar para confortavelmente ler em sua casa. Não se esqueça que ler faz bem e que a leitura ajuda ao nosso desenvolvimento.


Sem comentários: