sexta-feira, 8 de fevereiro de 2008

COLMEAL – duas linhas


“O Cadafaz e o Colmeal preocupam-me muito, porque não vejo maneira de promover algo de inovador para estas aldeias” – entrevista de José Girão Vitorino, Presidente da Câmara Municipal de Góis, ao “Jornal de Arganil” – edição de 7 de Fevereiro de 2008.

Numa outra entrevista publicada em 30 de Janeiro p.p. em “O Varzeense”, apenas uma breve referência aos valores das eólicas que revertem para a Junta de Freguesia do Colmeal. Apenas isso. Mais nada.

Continuamos preocupados com este alheamento. As pessoas que vivem na freguesia do Colmeal, as poucas pessoas que ainda vivem na freguesia do Colmeal, aqueles que vão ficando porque os anos já não lhes permitem grandes aspirações a procurar novos rumos, novas vidas, essas pessoas carregadas de anos e de canseiras, o que hão-de esperar dos seus autarcas nesta recta que se aproxima do seu final?
NADA!!! Apenas o esquecimento.

Continuamos a ver nestas entrevistas que o Colmeal não entra nos planos da Câmara. Que o Colmeal não existe. Perguntamo-nos o que se fez? O que se pensa fazer? Porque não se fez? Porque não se faz?
Nada se planeia para a freguesia? O que a Junta de Freguesia do Colmeal propõe não tem sequência? Por ser a freguesia mais distante vamos esquecê-la?
Será que não haverá mesmo nada de inovador para esta freguesia? Sendo a Câmara a grande empregadora do concelho (“à volta de 140”), não terá entre os seus quadros ninguém com ideias e que possa ajudar a resolver a preocupação do senhor Presidente?
Por vezes encomendam-se “novas ideias” ou “ideias inovadoras” ao exterior, a quem sabe ou a empresas especializadas. Conviria naturalmente conhecer o Colmeal e o resto da freguesia. Ouvir a Junta de Freguesia, a Assembleia de Freguesia ou até mesmo as pessoas simples, porque às vezes até têm ideias… e quem sabe se a colónia de Lisboa…

“Vou pedir às pessoas para colaborarem, serem intervenientes e críticos…, … pelo que peço ao povo do concelho de Góis compreensão, tolerância e bom senso.”
“Deixo também um apelo às Comissões de Melhoramentos que em tempos tiveram um papel muito importante no desenvolvimento das suas terras para que hoje tenham esse grande papel de ajuda, porque se todos nos unirmos poderemos fazer de Góis um “grande” concelho.” (in “O Varzeense”)

“As comissões de melhoramentos limitam-se a fazer os seus almoços e o dinamismo já não é o mesmo como antigamente. Têm as suas casas de convívio, fazem a sua festa anual, mas depois a actividade acaba…” (in “Jornal de Arganil”).

Parece-nos haver aqui alguma distracção e uma apreciação menos cuidada. Não se deve generalizar.
Pelo que nos tem sido possível acompanhar ao longo destes últimos anos da actividade da União Progressiva da Freguesia do Colmeal, estas palavras do senhor Presidente da Câmara são desajustadas e reveladoras de algum desconhecimento do que se passa no seu concelho, ou quanto muito, na freguesia do Colmeal, que ainda pertence ao concelho de Góis.
A colectividade tem privilegiado a informação na imprensa regional, mas também sabemos que nem todos têm acesso ou lêem jornais.
A União Progressiva ainda recentemente levou ao Colmeal, pela primeira vez, setenta e cinco pessoas num convívio que reuniu mais de duzentas e cinquenta.
Tem realizado a canoagem no Ceira com sucesso e com bastantes forasteiros que ficam encantados com as pessoas, com o acolhimento e com as paisagens.
Tem percorrido, nas suas caminhadas, os trilhos antigos da freguesia movimentando largas camadas de participantes, muitos dos quais vêm pela primeira vez à freguesia e ao concelho.
Tem ajudado a divulgar os saberes e sabores da Beira Serra.
Instalou uma biblioteca no Centro Paroquial permitindo assim às pessoas da freguesia do Colmeal o acesso à leitura.
Tem garantido anualmente os festejos de Verão e a prática e manutenção de jogos tradicionais tão do agrado dos filhos da região.
Continua a realizar anualmente a Festa de Natal para os mais pequenos e para os mais idosos.
Faz também o seu almoço de aniversário, como as outras Comissões de Melhoramentos. Movimenta centenas de associados e amigos do Colmeal em várias realizações, plenas de êxito, como os cruzeiros no Zêzere e no Douro.
Tem investido em termos culturais em visitas a museus e monumentos nacionais.
Quer fazer mais e manifesta as suas preocupações tendo em vista as carências mais prementes no Colmeal. E que respostas obtém?

Vamos ficar a aguardar pela próxima entrevista. Ficámos preocupados com a preocupação do senhor Presidente.

Lisboa, 8 de Fevereiro de 2007
Francisco Silva

5 comentários:

António Duarte - Soito disse...

Quanto a este aspecto partilho por completo a opinião aqui expressa, pois a Comissão de Melhoramentos do Soito vem desenvolvendo uma intensa atctividade em prol da aldeia e do seu património, tentando mesmo atrair pessoas de outras paragens, face ao abandono a que a aldeia foi votada pelos poderes públicos e também de muitos dos naturais e oriundos da mesma.
Devo aliás referir que muita da actividade que desenvolvemos seria da competência das autarquias.

Colmealense atento disse...

Dou os meus parabéns a esta voz que se levanta, que se inquieta e que recorda, para quem se esquece ou desconhece, alguns aspectos que têm preenchido a vida de uma Colectividade, uma vida de quase oito décadas, com caminho e vasto historial a bem da sua terra, da sua freguesia e do concelho.
Este blogue, que modestamente não referiu, pretende ser um espaço de debate e de divulgação da aldeia, da freguesia, do concelho e da região serrana.
A colectividade, como refere, tem vindo a investir na cultura. Prova disso é também a criação de um EspaçoArte, para exposições e divulgação de obras de sócios e amigos do Colmeal.
A divulgação das belezas naturais do concelho e das actividades que vão realizando tem tido grande acolhimento e prova disso são as visitas que diariamente passam pelo blogue e pelo crescente número de pessoas que querem ir "ver" o Colmeal.
Desejo muito sinceramente que continue com a sua voz inquieta, mas com mais acutilância.
Com tanta meiguice, pode acontecer que não se oiça.

beirão disse...

Lendo as duas entrevistas, temos que dar razão a este homem que discorda do alheamento a que a freguesia do Colmeal está votada.
Senhores autarcas, peço-vos que não se lembrem dela só de quatro em quatro anos.
Passem pela freguesia do Colmeal, vejam as suas necessidades, falem com as pessoas, dialoguem com as comissões de melhoramentos. Não as ignorem. Não fujam delas.
Não apareçam só na altura das esferográficas, dos bonés e dos calendários.
Apareçam com regularidade. Ouçam os residentes resistentes. Não se lembrem deles só quando precisam dos seus votos. Não os enganem com promessas, porque eles são pessoas de bem. São beirões que ficaram ou voltaram às suas terras de origem e que merecem respeito.

Anónimo disse...

Conversa fiada e balelas para entreter criancinhas.
Quando um de vocês, um só, tiver criado uma pequena actividade na freguesia que dê emprego a um ou dois residentes, passamos a ouvir as vossas opiniões e a atender os v/s desejos.
Até lá, com a vossa licença, estamos conversados.

Anónimo disse...

Entretém as suas criancinhas com balelas?... pobres crianças!!!...
Para ter só uma ideia, quantos postos de trabalho já criou?...
precisa de emprego? ou quer trabalho?...